Arte Digital

Arte interactiva

A arte interactiva é um conceito geral de arte, que engloba muitas variantes tecnológicas e estéticas, que envolve, de algum modo, a participação do espectador. Alguns artistas conseguem-no fazendo o espectador andar pela obra, como grandes esculturas ou instalações (ver página “Projectos Multimédia”), ou mesmo fazendo o espectador literalmente vestir a obra como uma peça de roupa (ex. “Fashionable Technology“). Outros trabalhos incluem computadores e sensores para responder a movimento, sons, calor ou outros tipos de estímulo. Também a navegação por hipertextos na Internet é considerada arte interactiva, pois permite a participação do visitante e permite que ele altere o curso da obra.

O diálogo entre a peça e o participante é a característica principal e é o distingue a arte interactiva de outro tipo de arte.

Em termos de criação de grupos, ferramentas próprias, e adequação do meio, os artistas que trabalham com a arte electrónica encontram-se na linha de frente da exploração da interactividade. Vários artistas adoptaram cedo novas interfaces e técnicas para obter a participação do espectador; novos meios de expor a obra, como vídeos, laser, mecânica; novas formas de interação humano-humano e humano-máquina, como telecomunicações, jogos electrónicos e Internet; e novos contextos sociais de interatividade, como crítica social, liberação e política.

Digital performance

performance artística é uma modalidade de manifestação artística interdisciplinar que – assim como o happening – pode combinar teatro, música, poesia ou vídeo. É característica da segunda metade do século XX, mas as suas origens estão ligadas aos movimentos de vanguarda (ex: dadaísmo, futurismo, Bauhaus) do início do século anterior. É diferente do happening por ser mais cuidadosamente elaborada e não envolver necessariamente a participação dos espectadores. Em geral, segue um “roteiro” previamente definido, podendo ser reproduzida noutros momentos ou locais.

Quando falamos em digital performance, falamos em performances que usufruíram de recursos digitais para a executar.

Fashionable Technology

A tecnologia e a moda não são áreas assim tão distantes como, ao início, dão a parecer. Fashionable Techonology é portanto a intersecção do design, da moda, da ciência e da tecnologia.

Esta interacção entre têxteis electrónicos e tecnologia “wearable”, moda, design e ciência é um assunto altamente promissor. As tecnologias “wearable” referem-se a peças de vestuário com dispositivos electrónicos e com novos materiais que permitem funções muito além das aplicações convencionais.

Casacos equipados com funções de GPS ou com painéis solardes; luvas de comunicação Bluetooth; camisas que acompanham o ritmo cardíaco e medem o desempenho desportivo: estes são exemplos de produtos que deixaram de ser sonhos do futuro, pois já se estão a tornar comercializáveis.

“Lux Colar Painel Solar” – colar feito de painéis solares, que recolhem a energia do sol durante o dia, e a transformam em luz branca à noite (os pequenos pontos de luz que vemos na imagem).
“The Galaxy Dress” é composto por 24 mil luzes de LED, 4.000 cristais Swarovski e um monte de baterias de iPod. É chamado: “the largest wearable display in the world.”
“Skorpions collections” de Ms Mainstone – As criações de Ms Mainstone incluem roupas com mecanismos programados para mudar de forma quando aquecidos, ou em resposta a uma corrente eléctrica.

“Bubelle blush dress” de “Philips design probe program” – Este vestido usa tecnologia de sensores biométricos que percebe as emoções, de quem o está a usar, na sua camada interna e projecta-os para a camada exterior. O resultado é um belo vestido que ilumina os padrões de luz dentro dos seus tecidos e reage de forma diferente para cada indivíduo.

Dança contemporânea

A dança contemporânea é uma forma de dança que procura, cada vez mais, diferenciar-se totalmente do ballet. Chega às vezes a deixar de lado a estética, pois o que importa é a transmissão de sentimentos, ideias ou conceitos, sendo os solos de improvisação bastante frequentes.

Por outro lado, foi a dança contemporânea que inseriu na dança outras áreas artísticas, como o vídeo, a música, a fotografia, as artes plásticas, a performance, a cultura digital e softwares específicos, que permitem alterações do que se entende como movimento, tornando movimentos reais em virtuais ou vice-versa. Surgiram, a partir de então, vertentes como a videodança, tornando mais híbridas as relações entre as diferentes áreas da dança.

Apresento aqui alguns vídeos de performances de dança contemporânea que tomaram partido de outras áreas artísticas, anteriormente referidas, maioritariamente da cultura digital.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: