Características do som: frequência, amplitude e timbre

Introdução ao som

O som é entendido como uma sensação auditiva, a qual é produzida por ondas sonoras. Estas ondas são geradas por “objectos” em vibração (ex. cordas vocais, instrumentos musicais, colunas de som) que provocam o movimento periódico ou oscilação das moléculas do meio envolvente (meios materiais – sólidos, líquidos ou gasosos). Estas moléculas, por sua vez, transmitem o seu movimento às moléculas “vizinhas” por meio de colisões entre partículas, levando a que a oscilação inicialmente produzida no “objecto” se propague através do espaço aberto, até chegar aos nossos ouvidos.

Figura 1 - O som a propagar-se

O ouvido humano é capaz de distinguir o som através de um complicado mecanismo de transformação das ondas sonoras em impulsos nervosos, os quais são transmitidos ao cérebro. Porém, nem todos os sons são percebidos da mesma maneira devido às diferenças físicas entre as ondas sonoras em frequência, amplitude e timbre.

Frequência

A frequência é a característica através da qual o ouvido distingue se um som é agudo ou grave. Esta característica está relacionada com a quantidade de ciclos completos (vibrações) de um onda sonora, que ocorrem num período de 1 segundo, e é expressa em Hertz (Hz).

Figura 2 – Frequências de som

Na figura 2 podemos ver representados dois sons. Em azul, um som com uma frequência mais baixa, com ciclos mais compridos e em menor quantidade, portanto um som mais grave. Em vermelho, um som com uma frequência mais elevada, com ciclos de menor comprimento e em maior quantidade, portanto um som mais agudo.

O espectro de frequências que o ouvido humano pode entender abarca sons entre 20 Hz e 20.000 Hz ou 20 KHz (1KHz = 1 Kilohertz ou 1000 Hz). As ondas sonoras com frequências inferiores a 20 Hz são chamadas infra-sons (ex: sons produzidos durante terramotos e trovões); e as de frequência superior a 20.000 Hz, ultra-sons (utilizados na medicina e na indústria).

Figura 3 - Espectro de frequências

Alguns animais são capazes de captar ultra-sons (ex: morcegos e golfinhos) e infra-sons (ex: elefante – 5Hz).

Amplitude

A amplitude é a característica que nos permite distinguir um som fraco de um som forte. Esta característica está relacionada com a quantidade de energia transportada pela onda sonora e é medida em dB (decibeis).

Figura 4 - Amplitudes de som

Na figura 4 temos a representação de um som com duas amplitudes diferentes. A linha vermelha representa um som mais forte, com uma amplitude mais elevada, e a linha verde o mesmo som com uma amplitude mais baixa, ou seja, o som é mais fraco. Se ouvíssemos estes dois sons separadamente iríamos perceber que são idênticos, diferenciando-se um do outro apenas no volume.

Figura 5 - Intensidades de sons do quotidiano

Na figura 5 temos um gráfico que indica o volume, em decibéis (dB), de alguns sons do nosso quotidiano.

Timbre

O timbre é a característica que nos permite distinguir dois sons com a mesma frequência e a mesma amplitude, mas produzidos por fontes sonoras diferentes.

Quando ouvimos, por exemplo, uma nota tocada por um piano e a mesma nota produzida por um violino, podemos imediatamente identificar características sonoras muito distintas. Isso é possível porque cada instrumento vibra de forma distinta e produz harmónicos com amplitudes e frequências diferentes, de acordo com a sua constituição.

Figura 6 - A diferentes fontes sonoras correspondem diferentes timbres

About these ads

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: